Arquivo da categoria: Integração declividade natural

Centro Vocacional Tecnológico da Mandiocultura

Araripina, Pernambuco

Projeto em estágio de anteprojeto, paralisado à espera de definições do contratante.
Terá paredes de adobes estabilizados com manipueira (subproduto) do processamento da mandioca, ventilação natural, coleta e aproveitamento de água de chuva, além de sanitário seco.

Plantas

Anúncios

Projeto para o Concurso do Parque das Aves

Brasília, DF
Projeto: 2005

Projeto de ocupação para o Parque das Aves, entre o zoológico e a estação da ponta da Asa Sul do metrô. Previa, além do paisagismo das áreas, o aproveitamento da água pluvial do final do Eixão Sul para abastecer e infiltrar-se em laguinhos no parque, tirando partido da topografia existente. Previa também um Centro Permacultural totalmente sustentável, com paredes portantes de barro (técnica do cob), coberturas viva e de palha, sanitários secos, e um grande Centro Cultural que seria uma grande passarela coberta com telhado vivo e estruturada em bambu.

Planejamento do sítio e vistas externas

Condomínio Ecológico Boa Nova

Alta Floresta, Mato Grosso
Projeto: 2005

Parcelamento de uma propriedade na periferia de Alta Floresta, MT, que prevê uma ocupação em curvas de nível, com aproveitamento da água pluvial e sistema de esgoto sustentável.

Planta baixa

Escritório da Ehpoca Advocacia

Núcleo Rural Santa Terezinha, Brasília, DF
Projeto: 2005/06

Edificação destinada a abrigar o escritório de advocacia do proprietário em chácara onde ele reside com a família. Será feita em tijolos de solo cimento e aproveita não só a topografia como a bela vista da cidade. Também servirá como salão de festas e eventos.

Vistas externas

Salão de TV e Jogos dos alunos da Escola Agrícola Federal de Ceres (EAFCeres)

Ceres, Goiás
Projeto: 2006

Espaço de lazer para os alunos internos da Escola, prevê estrutura de madeira, aproveitando doação do Ibama, e aproveita a topografia para a sala de TV. Aberturas estratégicas e proximidade com a mata servem para amenizar o forte calor da região.

Vistas da estrutura

Vista da cobertura e corte

Sítio Nós na Teia – Casa própria

Fazenda Taboquinha, Jardim Botânico, Brasília, DF
Projeto: 1997 Construção: 1998 até o momento
Projeto de casa ecológica modelo de implantação sustentável. Primeira de uma mini-ecovila a ser desenvolvida. Uso de madeira de reflorestamento, material reciclado (pneus e garrafas), implantação em curva de nível, telhado vivo, captação de água de chuva entre muitas outras coisas.

Vistas externas e interna

Casa de José Maurício

QI 3, Lago Norte, Brasília, DF
Projeto: 1999 Construção: 1999/2000

Casa para professor da UnB, sua esposa e filhas. Materiais convencionais e aproveitamento do declive do terreno para implantação de uma área de lazer semi-enterrada. Aproveitamento do sótão como espaço de leitura e contemplação.

Fachadas frontal e posterior

Casa de Marina Oliveira

Condomínio Ville de Montagne, Brasília, DF
Projeto: 2002 Construção: 2003/4 e 2007/8 (segunda etapa)

Casa projetada para terreno com declive acentuado, buscando as áreas do terreno que viabilizassem uma implantação sustentável. Possui estrutura de madeira com paredes de pau-a-pique (barro estabilizado), telhado vivo como terraço e sistema sustentável de esgotos. Projetada para ser construída em 3 etapas, já conta com as duas primeiras concluídas.

Estrutura da parede de pau-à-pique e fachada lateral

Vistas externas e detalhe da parede de pau-à-pique

Centro Agroecológico da Escola Agrícola Federal de Ceres

Ceres, Goiás
Projeto: 2004  Construção: 2004

Espaço para cursos e palestras construído na borda de uma mata nativa com materiais locais e sanitário compostável. Trata-se de uma arena coberta que tira partido da declividade natural do terreno. Uma grande tesoura treliçada em madeira garante o vão de 11 metros.

Arena - vistas externa e interna

Arena - vistas interna e externa

Casa de Rafael e Dea

JARDIM BOTÂNICO, BRASÍLIA, DF.
PROJETO: 2010  CONSTRUÇÃO: Em andamento.

O projeto propõe aproveitamento de características naturais do terreno (desnível, insolação, ventilação). Portanto, a casa se integra ao terreno com acentuado declive.
Sistema construtivo convencional de alvenaria com tratamento sustentável de esgoto.

Fachadas e cortes

Planta baixa